Review – Metro Exodus: The Two Colonels (DLC)

Uma história bonita porém trágica

No início de 2019, foi lançado o ultimo jogo baseado nas obras literárias de Dmitry Glukhovsky, Metro. Metro Exodus foi lançado e com ele muitas mudanças boas para o final da franquia, acompanhando novamente o protagonista Artyom que segue em busca de um território habitável na superfície e poder viver respirando ar puro novamente. Nesta primeira DLC, o jogador entra na pele do Coronel Khlebnikov, habitante da estação Novosibirsk que é visitada por Artyom e seu sogro, Coronel Miller, um ano depois.

The Two Colonels é uma DLC breve que dura somente algumas horas, causam diversas emoções durante sua jogatina. Abordar uma história que complementa e deixam as coisas da história principal mais claras foi uma ótima ideia ao saber o que houve com a estação que um ano antes era habitado por muitas pessoas que tentavam sobreviver e os pais de Kirill, garoto encontrado mais a frente no jogo base.

Diferente de Metro Exodus, a DLC segue uma história e exploração linear e um foco mais narrativo, com momentos variados entre drama, sustos e desespero. Com breves transições entre o protagonista Khlebnikov um ano atrás e Coronel Miller no ano atual que se passa o jogo, é possível visitar os cenários antes e depois e entender o que exatamente aconteceu em certos locais. Motivações que em muitos momentos se tornam questionáveis para o jogador.

Resultado de imagem para Metro Exodus: The Two Colonels

Uma história breve, porém emocionante, a DLC The Two Colonels revive o drama construido em Metro Exodus com bastante diálogos entre personagens e fortes emoções a cada momento no jogo. É interessante ver que a série Metro pode ser explorada fora do protagonismo de Artyom e render boas histórias como essa contada na DLC. Seria interessante ver um novo título acompanhando outro grupo de pessoas em outras estações com prequels ou sequels e mantendo o mesmo peso narrativo e ambientação survival da trilogia.

A DLC The Two Colonels de Metro Exodus já está disponível para PC, Xbox One e PS4.

NOTA: 9/10

Kaio Augusto

Uma pilha gigante de referências. Perdido entre produções orientais e ocidentais, seja nos games, música,literatura, cinema ou quadrinhos. Gasta horas pensando em aventuras de RPG de mesa, teorias malucas ou apenas o que fazer em seguida.