Review – Yakuza Kiwami

Remake do primeiro jogo da série Yakuza é uma pérola dos jogos japoneses

A atual geração de videogames conta com uma série de remake e remasters, seja com visuais renovados ou apenas versões em melhor resolução do jogos. Porém, a maioria dos casos, esses games acabam sendo apenas novamente a experiência já apresentada no passado. A SEGA por sua vez, traz Yakuza para a nova geração, com Yakuza Kiwami e mostra como remake podem apresentar um frescor, e ainda resgatar a sensação de jogar algo incrível pela primeira vez

Yakuza Kiwami começa anos depois de Yakuza Zero, com Kazuma Kiryu ainda em sua vida na Máfia japonesa. Após um dos generais da organização tentar abusar de uma amiga de infância de Kiryu, seu companheiro Akira Nishikiyama assassina o membro do alto escalão da Yakuza. Kazuma então assume a culpa, e fica dez anos na prisão. Agora ele precisa voltar ao mundo onde não é mais parte da organização criminosa, para acertar algumas contas do passado.

Por terem sido lançados no ocidente com um curto espaço de tempo entre um e outro, Yakuza Kiwami partilha dos mesmos pontos fortes e fracos de Yakuza Zero. A Tóquio apresentada em Kiwami continua sendo um ambiente vivo, com figuras engraçadas, únicas e cativantes.  As side-quests são sem dúvidas o melhor da série Yakuza, cada uma com um tom diferente, onde Kazuma precisa conhecer um pouco de cada figura do distrito de Kabukicho. Outro ponto de destaque é como o roteiro consegue trabalhar diversos tons, sem parecer uma colcha de retalhos de ideias. Enquanto em algum momento o jogador está rindo das aparições insanas de Goro Majima, uma mafioso que sempre aparece para lutar com Kiryu, em outros está sério observando as viradas dramáticas do enredo.

Apesar de ter uma história excelente, alguns momentos de cutscenes acabam sendo um tanto cansativos e duram por longos minutos. Isso faz com que Yakuza Kiwami não seja para qualquer um, é preciso ter uma ideia do conceito japonês e até entender um pouco desta cultura para que o jogo faça um pouco mais de sentido. O combate ainda é divertido, como em Zero, contando com estilos diferentes que se encaixam bem em situações específicas ou modos de jogos.

Yakuza Kiwami é a maneira ideal de iniciar essa franquia da SEGA, mesmo que Zero se passe antes, não há nada como iniciar com a história que foi publicada inicialmente. Com este título, é possível aumentar, e muito, a ansiedade para o que está sendo preparado em Yakuza 6, marcado para chegar em 2018.

Kaio Augusto

Uma pilha gigante de referências. Perdido entre produções orientais e ocidentais, seja nos games, música,literatura, cinema ou quadrinhos. Gasta horas pensando em aventuras de RPG de mesa, teorias malucas ou apenas o que fazer em seguida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *