Review – RAGE 2

Nove anos após o primeiro, Bethesda mostra que não aprende muito com seus erros

No mundo de RAGE 2, situado alguns anos após o jogo anterior, o jogador vive uma experiência de combate clássico da id Software, muito semelhante a Doom, mas em um mundo aberto insano da Avalanche Studios. No papel de Ranger Walker, o mais próximo de um super-herói que há no mundo, e a maior esperança para derrubar o reinado tirânico de General Cross e seus subordinados mutantes da Autoridade.

RAGE 2 foi um dos jogos mais esperados de 2019, com seu mundo pós apocalíptico a lá Mad Max e cores vivas, principalmente rosa choque, o jogo traz tiroteios frenéticos, um mundo aberto com perigo à todo instante, mas uma campanha não muito boa e nem duradoura. Elemento que era esperado uma melhoria desde o primeiro RAGE, por ser algo decepcionante e muito raso. RAGE 2 veio com algumas melhorias, porém nem tanto para se manter interessante por muito tempo.

O jogo traz uma história de mais ou menos dez horas somente, sem contar com missões secundárias, colecionáveis e outros elementos disponíveis no jogo. Um dos pontos mais negativos em RAGE 2, uma vez que ao cometer o mesmo erro no jogo anterior poderia ser revisto muitas vezes. Uma história rasa e sem nenhum aprofundamento nos personagens, tudo se torna descartável, causando somente os tiroteios prazerosos.

A utilização de veículos no mundo aberto de RAGE 2 não parece que foi bem pensado também, sendo perceptível que todos os veículos pilotados pelo jogador parecem lentos com relação à escala do mapa e comparado com outros encontrados nas estradas. Tornando cansativo as viagens entre os pontos e torcendo por pontos de Fast Travel o mais rápido possível.

O quesito FPS é o melhor fator existente em RAGE 2, com uma gameplay fluída e ótimo arsenal, o jogo remete à um Doom em mundo aberto. Seu sistema de melhoria são interessantes e fáceis de adquirir ao concluir várias missões espalhadas e encontradas pelo mundo afora. Porém, a dificuldade do jogo não o torna tão desafiante, uma vez que ao encontrar a Shotgun, o jogo se torna fácil até demais, eliminando inimigos com um tiro e Chefões monstruosos com alguns tiros, tirando um pouco a graça de outros equipamentos e armas.

RAGE 2 chega a ser interessante por sua temática e tiroteio fluído e frenético, mas se espera uma boa história, outros jogos podem suprir essa vontade. Algumas missões repetitivas podem cansar o jogador, assim como lentidão dos carros. A não ser que encontre um veículo aéreo, tornando tudo mais fácil e rápido.

RAGE 2 já está disponível mundialmente para Xbox One, PlayStation 4 e PC.

NOTA: 6/10 vezes em que tive que usar uma arma diferente da Shotgun

Otto

Um rapaz que fez do hobby um trabalho. Sempre interessado em aprender e conhecer mais. Gamer desde criança e aficionado por Board games. Altas madrugadas jogando e trabalhando incansavelmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *