Review – Immortal Unchained

Um dark souls de tiro

Atualmente, muitos jogos de Aventura e RPG bebem da fonte da série Souls, utilizando sua mecânica de combate, mas com certas diferenças e peculiaridades. Alguns consegue se destacar e inovar bastante o gênero, outros tentam fazer algo tão diferente, mas falha na execução. Immortal Unchained é um pouco dos dois casos. Desenvolvido pela Toadman Interactive, o jogo utiliza essa mecânica com armas, em um universo intergaláctico onde seu personagem é o escolhido para salvar a galáxia.   

 Assim como famosos jogos do gênero, a história de Immortal Unchained é bem simples e vaga, temos um protagonista que é o escolhido para salvar tudo e a todos contra inimigos do dobro de seu tamanho e mais fortes. O destino de todos está nas mãos dele para encarar todos os obstáculos. Para descobrir mais sobre a lore do jogo é possível encontrar certos monólitos e itens que trazem pequenas histórias.

Sua mecânica, como dito acima, inova, porém, falha em sua execução. A utilização de stamina é um pouco falho ao ser utilizada com armas de fogo, não há defesa, somente desvios. O problema disso é que gasta muito da barra, sendo possível desviar umas três vezes, isso quando não precisa ficar parado para recarregar a arma enquanto um projétil vem em sua direção. As armas variam entre pistolas, metralhadores, granadas e outros, depende do estilo do jogador qual utilizar. É possível também ter uma arma corpo a corpo que serve de apoio caso seja uma situação desesperadora e é necessário um golpe final no inimigo, não é possível utilizar só esse tipo de arma, pois não há combos e o dano é mínimo em comparação com as de fogo.

O combate é bem mais complicado por ter uma jogabilidade truncada e ter munição escassa, sendo possível reabastecer com sorte ao derrotar inimigos ou indo em um Pilar, semelhante ao famoso Bonfire. Tirando isso, Immortal Unchained utiliza elementos muito parecidos com os da série Souls, desde a criação de personagens até os Boss enormes e difíceis, mas tudo isso com um ar mais espacial.

Immortal Unchained traz um visual mais obscuro e tenebroso, explorando locações uma mais diferente da outra ganham depois após um tempo inicial de jogo. Cores mais suaves, com alguns pequenos destaques vibrantes e destroços para todos os lados compõem o grande cenário de seu universo. A trilha sonora é bem genérica apenas complementando momentos de ação e combate do jogo, na maioria das vezes é possível observar somente os efeitos sonoros.

O estúdio traz uma ideia boa, mas não conseguiu executar muito bem a ponto de apreciar um tiroteio mais hardcore, sua dificuldade chega a ser mais estressante que o normal. Recarregar a arma é uma baita dor de cabeça. Seu visual impressiona e assusta um pouco por ser grotesco, mas tem seu destaque, apreciadores de Scify podem se interessar.

Immortal Unchained já está disponível para PC e PS4.

Otto

Um rapaz que fez do hobby um trabalho. Sempre interessado em aprender e conhecer mais. Gamer desde criança e aficionado por Board games. Altas madrugadas jogando e trabalhando incansavelmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *