Review – Black Desert Online

O novo game de multiplayer massivo impressiona pelo realismo gráfico

Se você ainda não ouviu falar do MMORPG coreano Black Desert, é provável que ainda ouça em breve. Desenvolvido pela  Pear Abyss em parceria com a RedFox Games, o game chegou ao Brasil no início de julho, contando com um servidor sul americano e legendas em português. Famoso internacionalmente pela customização gráfica realista, Black Desert apresenta propostas inovadoras em termos de visual, enredo e combate, prometendo ser um dos melhores games do gênero na atualidade.

Uma história interligada

De modo geral, as histórias funcionam bem como pano de fundo nos MMO’s, mas esse não é o caso de Black Desert, em que o enredo tem como função criar uma espécie de ponte entre o jogador e a ação a ser tomada. Com inúmeras cut scenes durante missões, a história se desenvolve de maneira a incentivar o jogador a prosseguir continuamente nas quests, fazendo com que haja de fato um  sentido para aquela atividade.

No universo do game, as chamadas “Pedras Negras” eram artefatos encontrados em abundância entre os reinos de Calpheon e Valência que foram usados como fonte de energia na tecnologia de uma civilização anciã. Apesar disso, as reações químicas artificiais resultantes da utilização das Pedras Negras levaram à destruição das mentes da população ancestral, conduzindo a civilização à falência.

Calpheon, o reino da fortuna e comércio, chamou essa terra cheia de Pedras Negras enterradas de “Deserto Negro” e começou uma guerra para conquistá-la. Entretanto, a monarquia absoluta de Valência o nomeou “Deserto Vermelho”, pelo sangue derramado por seus soldados durante essa guerra.

O responsável pelo paralelo entre ação e narrativa é justamente um espírito negro que acompanha o seu personagem desde o início e rouba suas memórias. Ele oferece uma espécie de contrato e passa a orientá-lo ao longo das missões com a promessa de devolver suas memórias assim que você cumprir as tarefas.  Além disso, esse espírito pode ser invocado a qualquer momento.

Customização quase perfeita

Em Black Desert existem atualmente cinco classes disponíveis: Guerreiro, Caçadora, Feiticeira, Domadora e Berserker. É uma pena que cada classe já tenha o seu gênero específico. Isso significa que se você optar por jogar com o Berserker, por exemplo, você só poderá criar e customizar um personagem do gênero masculino e a mesma coisa se repete com as demais classes. Ainda que a customização do game apresente inúmeras possibilidades para a criação de um personagem único, a impossibilidade da variação de gênero é um dos maiores pecados do game nesse momento.

Cada classe tem suas particularidades e seu próprio estilo de jogo, o que faz com que o combate ganhe seu ritmo próprio. Se há um aspecto que merece destaque nesse novo MMO é exatamente esse, o game faz com que o jogador se aproprie das mecânicas, desenvolvendo um combate extremamente veloz e dinâmico, o que deixa a jogabilidade menos trivial e manjada, já que exige  que o jogador aprenda e execute combos para alcançar um melhor desempenho.

Um mundo de possibilidades

Com uma infinidade de escolhas à sua disposição, você pode, por exemplo, escolher uma profissão, como pescaria ou alquimia. O jogador é livre para adquirir terrenos, se tornar um negociante, coletar e refinar materiais e vendê-los no mercado. Além disso, é possível criar animais, cultivar plantas, contratar trabalhadores, desenvolver habilidades culinárias e explorar o mundo aberto à  sua volta.

Para quem se interessa pelo gênero, certamente o game é uma das melhores escolhas. Ainda que existam algumas poucas falhas, como a já mencionada impossibilidade de alterar o gênero das classes e o fato de algumas das missões serem repetitivas, Black Desert é um game que merece atenção principalmente pela imersão que proporciona ao jogador num universo realista recheado de possibilidades e novos desafios.

Black Desert já está disponível para PC e pode ser adquirido aqui.

Letícia Motta

Hardcore gamer, punk e antissocial. Fã de RPG's de fantasia, ficção científica e quadrinhos independentes. Passa as horas vagas e as não vagas com seus consoles e PC.

Um comentário em “Review – Black Desert Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *