Crítica – Ao Cair da Noite (It Comes at Night)

Uma atmosfera claustrofóbica e intensa

No dia 22 de junho teremos a estreia no novo suspense de Ao Cair da Noite. O longa é uma história sufocante, não obtém efeitos maravilhosos e lindos, mas mesmo assim consegue prender o espectador de uma maneira surpreendente.

Em Ao Cair da Noite nós não temos nenhuma certeza, infelizmente boa parte das perguntas são respondidas pela sua própria imaginação. Em um cenário pós-apocalíptico (bastante clichê), Paul (Joel Edgerton) mora com a esposa Sarah (Carmen Ejogo) e o filho Travis (Kelvin Harrison Jr.), juntos precisam sobreviver a uma doença desconhecida e contagiosa capaz de matar as pessoas. A Família vive de maneira isolada em meio a uma floresta levando uma vida meio paranóica com tudo. Certo dia a família vem a abrigar uma família que luta pela sobrevivência, Will (Christopher Abbott), sua esposa Kim (Riley Keough) e o pequeno Andrew (Griffin Robert Faulkner), um relacionamento em família começa a ser formado até que tudo começa a dar errado.

Com muitos pesadelos, acontecimentos confusos e tensão sobre todos os personagens a todo momento por conta da situação a que se encontram  tudo o que se espera são respostas, que infelizmente não são apresentadas.

Um dos grandes pontos positivos está nas performances do elenco. Joel Edgerton (Paul) é um protagonista sólido, um homem capaz de proteger toda a família a qualquer custo e com uma mistura de sangue frio e amor pela família e chega a ser perceptível com muita facilidade. Christopher Abbott (Will), chefe da família que recebe abrigo, está totalmente no personagem em cada momento, demonstrando seu amor pela mulher e filho, seus medos perante a cada perda e a coragem em seus atos para salvar a sua família.

Os efeitos sonoros incentivam com o impacto das cenas, aumentando ainda mais o mistério que cerca toda a trama. A arrepiante porta vermelha, as cenas tomadas pela escuridão, a sensação de estar no mesmo desespero da família de fato chega a acontecer do início ao fim.

De modo geral a história é mínima e não apresenta muitas explicações, talvez tenha sido uma jogada estratégica para aumentar o nível de tensão sobre a situação desesperadora e perdida que a família se encontra. Aos amantes do gênero o filme apresenta um suspense quase sem fim, porém é somente isso. Por sua atmosfera de medo e suspense o filme chega a prender o espectador.

Texto por Rafael Jesus

Um comentário em “Crítica – Ao Cair da Noite (It Comes at Night)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *